Moradores de determinadas regiões do Buritis exigem remanejamento no itinerário das linhas dos ônibus no bairro.

Ao fazer uma visão panorâmica do Buritis é fácil perceber que o bairro foi desenvolvido em uma área de alto relevo. Seus imóveis foram sendo construídos em meio a subidas e descidas, algumas delas muito íngremes, o que exige um grande esforço para percorrê-las. Esta situação obriga a maioria dos moradores a utilizar de um veículo para chegar em casa, seja próprio ou do transporte público urbano. O problema é que residentes de determinados pontos do bairro não conseguem ter acesso a ônibus até perto de casa. Pior, na maioria dos casos são os moradores das ruas com as subidas mais fortes do bairro. Fato que causa muita revolta.

Cristiana Cardoso se mudou para a Rua Lauro Ferreira há oito anos e desde então reclama da dificuldade de sair ou chegar em casa usando o transporte coletivo. Para ir até o ponto de ônibus mais próximo precisa andar cerca de cinco quarteirões. Todos eles morros. Ela conta que toda vez que está sem carro passa por um verdadeiro martírio. “Eu acho desumano. É até mais perto ir pegar ônibus no Estrela D’alva do que no meu próprio bairro. Imagina agora quem tem criança para carregar, quem vai fazer compras, como que faz? Não quero um ponto na porta do meu prédio, mas exijo o mínimo de dignidade!”, exalta.

Ainda de acordo com Cristiana, devido à falta do ônibus, os moradores da sua rua e adjacentes encontram dificuldades até mesmo para contratar faxineiras. “Assim que elas são informadas sobre onde é a casa para trabalhar, desistem. Dizem que não conseguem andar até o local”. Prova desta difícil situação é o caso de uma funcionária do prédio. Cristiane de Paula precisa percorrer os cinco quarteirões diariamente para chegar ao serviço. Uma longa caminhada de subidas, que gasta em média 30 minutos. “É muito sofrido. Tenho que fazer algumas pausas, senão não consigo chegar. Além disso, já chego para trabalhar cansada e suada”.

Também moradora da Laura Ferreira, Thaís Xavier reclama que, quem não tem carro, fica completamente ilhado ao morar na rua. “Se não tiver dinheiro para o táxi, não vai sair de casa. Já vi mãe com criança no colo subindo a rua aqui e vi o tamanho do seu sofrimento. Sem contar pessoas que torcem o pé, que é algo corriqueiro. É preciso que uma atitude seja tomada o quanto antes”, ressalta.

Buritis II 

Outra região que também reivindica por linhas de ônibus é o Buritis II. Talvez por estar em desenvolvimento, as autoridades competentes ainda não tenham elaborado um itinerário específico para ela. Assim, quem vai mudando para o local precisa conviver com a dificuldade de pegar o transporte coletivo.

A aposentada Lavínia Ribeiro da Silva se mudou para a Rua Geraldo Lúcio Vasconcelos há seis meses. Como não dirige, sempre fez uso do ônibus para tudo. E nunca havia encontrado nenhuma dificuldade, até agora. De acordo com ela, quando morava no Padre Eustáquio conseguia pegar ônibus para todos os cantos de Belo Horizonte. Morando no Buritis, é complicado até mesmo para ir ao Centro. Porém, o problema maior é pegar o transporte público. Lavínia explica que os ônibus descem a Avenida Mário Werneck até a altura da Rua Maria Heilbuth Surette. Somente os suplementares seguem até a Avenida Aggeo Pio Sobrinho. “Eu que sou aposentada, não pago passagem, pego um ônibus só para vir até em casa. Mesmo assim perco muito tempo. Agora imagina quem paga passagem. Vai vir a pé”.

Para a aposentada, se não for possível criar novas linhas é preciso reajustar o itinerário das existentes para que os moradores do Buritis II tenham acesso fácil a ônibus. “O povo diz por aí que, quem mora no Buritis tem carro. Eu não tenho e quero ser respeitada como cidadã”, finaliza.

Resposta da BHTrans

O JORNAL DO BURITIS entrou em contato com a Empresa de Transportes de Belo Horizonte, BHTrans, para ouvir sua posição. Através de nota a assessoria de comunicação informou que os usuários que têm como origem/destino o Buritis têm seus deslocamentos garantidos tanto para o hipercentro do município como para diversas outras regiões da cidade, e ainda a pólos geradores de demanda (BH Shopping, UFMG, Av. Presidente Antônio Carlos até o Viaduto São Francisco, Região Hospitalar, Savassi, Praça da Assembleia Legislativa, Estação Calafate do Metrô), e com a utilização do cartão BHBUS os benefícios da política tarifária, que garantem os deslocamentos em toda a rede municipal com o pagamento da tarifa de R$ 3,70 ou o desconto de R$ 1,85 (valores atuais), 50% do valor da tarifa no segundo deslocamento, com exceção do retorno ao ponto de origem no prazo máximo de 90 minutos.

A nota afirma que existem localidades no Buritis onde a topografia não permite a implantação de atendimento pela rede de transportes devido aos seus aclives/declives acentuados que comprometem a segurança operacional em se tratando de transporte coletivo.

Com relação ao atendimento ao Buritis II, a empresa informou que a linha 8203 (Renascença/Buritis) conta com a sub-linha 8 de atendimento à Av. Deputado Cristovam Chiaradia e Buritis II, passando pela Ruas Borborema, Moisés Kalil, Rubens Caporalli Ribeiro e Avenida Senador José Augusto e fazer o transbordo (troca) para a sublinha 1 no ponto de controle localizado na Av. Professor Mário Werneck, nº 3015 (Escola Americana) sem o pagamento de outra tarifa.

A nota finaliza informando ainda que as questões relativas à rede de transporte coletivo que atende ao Buritis estão inseridas no Planejamento Participativo Regionalizado (PPR) da Prefeitura de Belo Horizonte através do Território O2, onde o bairro está inserido, sendo o fórum apropriado para se debater tais questões expostas pelos moradores.

 

Linhas que atendem o Buritis

Transporte coletivo convencional

205 – Metrô Calafate/Buritis que atende a região comercial do bairro e toda a Av. Professor Mário Werneck.

3052 – Estação Diamante/BH Shopping via Havaí que atende somente a região comercial do bairro.

4150 – Shopping Del Rey/BH Shopping que atende somente a região comercial do bairro.

5201 (MOVE) – Dona Clara Buritis que atende a região comercial do bairro e parte da Av. Professor Mário Werneck.

8203 – Renascença/Buritis que atende a região comercial do bairro e parte da Av. Professor Mário Werneck.

8207 – Maria Goretti/Estrela Dalva que atende somente a região comercial do bairro.

8208 – Santa Cruz/UNI-Estoril que atende a região comercial do bairro e parte da Av. Professor Mário Werneck.

9206 – Vera Cruz/Buritis que atende a região comercial do bairro e parte da Av. Professor Mário Werneck.

9250 – Caetano Furquim/Nova Cintra via Savassi Buritis que atende a região comercial do bairro e parte da Av. Professor Mário Werneck.

SE02 (SERVIÇO EXECUTIVO) – Buritis/Savassi que atende região comercial do bairro e toda a Av. Professor Mário Werneck
Transporte coletivo suplementar

S20 – Palmeiras/Serra Buritis que atende a região comercial do bairro e parte da Av. Professor Mário Werneck.

S22 – Buritis Metrô Calafate que atende a região comercial do bairro e parte da Av. Professor Mário Werneck.

 

Fonte: Jornal do Buritis

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

FALE CONOSCO

Envie-nos uma mensagem

Enviando

©2019 Meu Bairro Buritis | Todos os direitos reservados

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?