Editoriais (Leonardo Orrico)

Editorial: Afinal o rotativo é válido ou não?

Neste início de semana fomos surpreendidos pelo anúncio, feito pela BHTrans, de que o Buritis passará a ter estacionamento rotativo em grande parte da Av. Prof. Mário Werneck e adjacências. A Associação de Moradores se apressou em se posicionar contra. Em nosso grupo do Facebook a notícia, claro, provocou polêmica, como sempre ocorre em relação ao tema trãnsito na região. Alguns a favor e muitos contra. O assunto provoca exaltação e bate-boca. Há alguns meses atrás, quem lançou o tema do estacionamento rotativo foi o Jornal do Buritis, se posicionando a favor, com base na opinião de alguns especialistas ouvidos. Me lembro que na época o pessoal do jornal foi muito criticado por ter colocado na manchete que o rotativo era um “desejo da comunidade”.

Trata-se de mais um tema difícil. A aplicação ou não do sistema de estacionamento rotativo em qualquer área da cidade é uma decisão complicada. Assim como muitas coisas nessa vida (quase tudo, na verdade), essa é mais uma que tem prós e contras. O rotativo foi pensado como uma solução para gerar mais espaços de estacionamento nas ruas, evitando que pessoas monopolizem as vagas o dia inteiro, e com isso melhorando a fluidez do trânsito.

Desconheço estudos mais detalhados sobre o tema, para saber se funciona e o quanto funciona, em locais onde já tenha sido implementado. Mas, a princípio a ideia parece válida. O problema é que tem um custo. Uma vaga de estacionamento livre, na rua, em um espaço público e que deveria pertencer a todos, passa a ter um preço. Isso já não é legal. E para piorar, em nosso país, como todos sabemos, sempre há o questionamento em relação a para onde vai a renda advinda dessa arrecadação. Corrupção e falta de retorno em relação ao péssimo serviço público prestado, devem ser mencionados. A gente sempre fica com aquela sensação de estar mais uma vez sendo lesado, ao ter que pagar e não ver esse dinheiro gerando retorno.

Então, é a famosa “faca de dois gumes”. Adotar o rotativo ou não adotar? Qualquer opção tem vantagens e desvantagens. Isso quer dizer que todo mundo está certo. Os que criticam  tem razão de criticar, e os que defendem também. O fato aqui é que o trânsito no Buritis, especialmente naquela região considerada “central” da Av. Prof. Mário Werneck é caótico, e motivo frequente de reclamação geral. Quando se pergunta qual a pior coisa no Buritis, 99% das vezes a resposta será o trânsito. Está claro há muitos anos que atitudes tem que ser tomadas em relação a aquele ponto.  Claro que não será somente a implantação do rotativo que irá surtir efeito. Mas se isso pode ser um dos fatores a contribuir, será que não é válido? Temos que continuar cobrando outras melhorias, ficar em cima do poder público para que esse dinheiro seja corretamente empregado e gere resultados para a região. E aí, quem sabe um dia o rotativo possa ser extinto. O que não dá é para continuarmos de braços cruzados, presos no trânsito da Mário Werneck, reclamando dos políticos que não fazem nada. Enquanto isso paramos em fila dupla “só um minutinho”, ou fazemos a conversão sem acionar a seta, ou estacionamos na vaga de deficientes, ou….

 

 


Leonardo Orrico
Publicitário, entusista das redes sociais, administra o projeto Meu Bairro Buritis junto com sua esposa e seus quatro gatos, tentando fazer sua parte para um mundo melhor, começando pelo seu bairro. 

 

 

Meu Bairro Buritis

Relative Posts

Deixe um Comentário

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.