A cada dia que passa a comunidade do Buritis tem se mostrado muito unida no combate ao crime. A mais nova arma que pretende aumentar a sensação de segurança entre os moradores foi apresentada no último mês de março, quando comerciantes da Avenida Professor Mário Werneck concordaram com a implantação da primeira Rede de Comerciantes Protegidos do bairro. 

Durante dois dias, mais de 40 empresários presentes em toda a extensão da avenida se mostraram dispostos a ajudar a Polícia Militar a conter a ação de marginais na região. Nas próximas semanas novas reuniões serão realizadas, quando serão desenvolvidos planos de ação e a implantação definitiva da Rede, com a instalação das placas informativas nos estabelecimentos participantes.

A Rede de Comerciantes Protegidos é, na verdade, um desdobramento da Rede de Vizinhos Protegidos e consiste em criar uma comunicação mais próxima com a Polícia Militar, desenvolvendo atividades que compreendem estratégias bem organizadas, de fácil execução, eficientes, de baixo custo e elevado valor social, que reforça a presença da polícia junto aos estabelecimentos comerciais e promove a interação entre comerciantes e militares, e entre os próprios integrantes dos grupos da Rede.

Há anos sonhando com a implantação da Rede no Buritis (que não saía do papel devido à baixa adesão dos comerciantes), Tenente Lívia Possato, responsável pelo comando da PM no bairro, não escondia a felicidade em ver o projeto finalmente acontecer. De acordo com dados da própria Polícia Militar, em alguns locais como, por exemplo, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, o sistema contribuiu para a redução em cerca de 40% da criminalidade. “Ela se caracteriza como um conjunto de pessoas organizadas para executarem ações sistematizadas. Assim, a ideia essencial do programa é que cada comerciante vizinho proteja o comerciante vizinho. Isto é, cada elo da Rede atua como uma “câmera viva”, que de forma comprometida alerta todos os componentes do laço sobre a presença de pessoas e indivíduos suspeitos”, explica.

Neste primeiro momento a comunicação entre os participantes da Rede no Buritis será realizada através do aplicativo WhattsApp, por meio do qual a Polícia Militar passará dicas de segurança aos comerciantes e estes poderão indicar indivíduos, ações e veículos suspeitos que estejam rondando a região. “É fato que quando a população local trabalha em conjunto com a PM as possibilidades de ação do cidadão infrator diminuem consideravelmente. Por isso, temos certeza de que a Rede de Comerciantes Protegidos será mais um programa de sucesso no Buritis”, completa a tenente.

Responsabilidade de todos os comerciantes

E se o sucesso da Rede de Comerciantes Protegidos da Mário Werneck depender da participação dos empresários, a Polícia Militar parece não ter do que se preocupar. De imediato, os comerciantes garantiram que não irão medir esforços para que o resultado do projeto seja o mais satisfatório possível. “Acredito no associativismo, pois com as pessoas trabalhando juntas há mais possibilidade de se chegar a um ideal. Assim, visualizei na criação dessa Rede a possibilidade de termos uma comunidade mais segura”, comenta o proprietário da Esquina do Presente, Bruno Mesquita.

Representante da Boreal Netimóveis, Anamélia Soares diz que trabalhar o preventivo, que é a grande proposta da Rede, é fundamental para melhorar a segurança de uma região. “A intenção é que a formação de grupos entre comerciantes vizinhos contribua para tornar o serviço da PM mais eficaz, diminuir o índice de criminalidade e aumentar a sensação de segurança no Buritis”.

A atual situação econômica que vive o país deverá resultar em um aumento circunstancial da criminalidade. Este é o pensamento de Braulio Lara, diretor da Solimob Netimóveis. Por esta razão, se torna ainda mais importante a união de forças em prol da segurança pública. “Precisamos estar preparados para não sofrermos as consequências. Temos que ter uma colaboração mútua. Acredito no projeto, na boa intenção da polícia, e sei que os resultados serão muito positivos”, diz.

Durante os dois dias de apresentação do programa, alguns comerciantes relataram casos de roubos e furtos a seus estabelecimentos e de colegas, questionaram sobre a eficácia do programa e sobre a necessidade de uma mobilização de todos em prol da segurança.

Na prática

O sistema funciona como uma articulação de proteção a seus integrantes. Em caso de suspeição de alguma pessoa na prática de crime ou de alguma vulnerabilidade em algum comércio, a primeira pessoa que observar o fato, alimenta a rede com informações. Assim, todos tomam conhecimento e a Polícia Militar é acionada de imediato para atuar em caso de necessidade, preventivamente ou repressivamente, se for o caso. “A expectativa é inibir a prática de crimes junto aos comércios, especialmente dos furtos, estelionatos e distribuição de notas falsas, entre outros”, finaliza Tenente Lívia.

Apesar de um público em torno de 40 comerciantes durante as reuniões para implantação da Rede, no WhattsApp a adesão foi muito grande, passando de uma centena de componentes.

 

Fonte: Jornal do Buritis

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

FALE CONOSCO

Envie-nos uma mensagem

Enviando

©2020 Meu Bairro Buritis | Todos os direitos reservados

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?