Hoje começamos uma nova seção em nosso site. Vamos entrevistar pessoas e representantes de locais importantes na região.

Pra começar, conversamos com Vinicius Veloso, gerente de marketing / assessoria de imprensa do Clube Chalezinho. Batemos um papo sobre os primeiros meses da nova casa no Buritis, casas noturnas na capital mineira e segurança. Confira:

COMO TEM SIDO A ACEITAÇÃO DO NOVO CLUBE CHALEZINHO NESSES PRIMEIROS MESES DEPOIS DA MUDANÇA DE ENDEREÇO PARA O BURITIS?

Tem sido muito legal. O público do bairro recebeu muito bem, e os nossos clientes também. Quem já frequentava o clube gostou muito do novo local e abraçaram a nova casa. O bairro como uma nova opção de entretenimento. Então, tem sido muito boa a experiência.

VOCÊ ACHA QUE O BURITIS É UM BAIRRO ADEQUADO PARA CASAS NOTURNAS? E VOCÊ ESPERA QUE A VINDA DO CHALEZINHO ATRAIA OUTROS EMPREENDIMENTOS PARA A REGIÃO?

Acho que no ponto que a gente está localizado sim. Aqui é uma região pouco populada, por residência, por moradores, então é provável que ela se desenvolva mais como uma área comercial. Pelo menos esse ponto da Mário Werneck. Mas para nós é indiferente, eu não acredito que outras casas virão atrás da gente e acho que não tem nada que favoreça isso. No nosso caso a gente foi muito feliz em achar esse ponto, mas eu não acho que este tipo de região possa favorecer outras casas, e para dentro do bairro então acho que muito menos ainda. Então acho que devemos ser a única casa, aqui no bairro nesse momento.

VOCÊS TEM TIDO ALGUM TIPO DE PROBLEMA NA REGIÃO? ALGUMA RECLAMAÇÃO, EM RELAÇÃO A BARULHO, TRÂNSITO, CONFUSÃO?

A gente precisou investir bastante em tratamento acústico, grande parte da obra aqui foi em tratamento acústico, para que tivesse o menor impacto possível com relação a barulho. E outras medidas também. Temos um isolamento que é bastante confortável e eu acredito que não prejudique nem incomode a vizinhaça, os prédios mais próximos. E também tomamos medidas preventivas para que outros impactos fossem diminuídos. Temos hoje 300 vagas de estacionamento, para poder atender nossos clientes, que a gente julga que é bastante significativo pro número de pessoas que a gente comporta hoje aqui. Então, acho que hoje nós conseguimos chegar de forma tranquila. Consultamos antes a associação dos moradores do bairro para gente poder manter um diálogo aberto sem qualquer interferência, qualquer problema que tivesse. No começo tivemos uma reclamação com relação ao lixo, que os clientes ao sairem da casa estavam deixando. Então tratamos de resolver isso na primeira vez que foi repassado isso para nós, pela associação de moradores do bairro. Acredito que está bem harmoniosa a convivência.

VOCÊ ACHA QUE TEM TIDO MUITA FREQUENCIA DE PESSOAS QUE MORAM NO BAIRRO AQUI NA CASA, OU É MAIS FREQUENTADA POR PESSOAS DE OUTRAS REGIÕES?

Acho que a gente recebe mais gente de outras regiões aqui, mas com certeza os nossos cliente que já frequentavam passaram a vir mais aqui pela proximidade né?! Isso sem dúvida.

VAMOS FALAR UM POUQUINHO SOBRE A QUESTÃO DA SEGURANÇA. O CLUBE CHALEZINHO ESTÁ PREPARADO PARA ATENDER TODAS AS NECESSIDADES?

Estamos sim! O Clube possui cinco saídas, entre saída de emergência e saídas convencionais. A gente possui extintores devidamente aferidos espalhados pela casa toda. Temos também cinco hidrantes para extinção de incêndio e a brigada preparada para casos de emergência. Então a gente está em conformidade sim.

HOUVE RECENTEMENTE UMA POSTAGEM NO FACEBOOK DO CHALEZINHO, EM RELAÇÃO A ESTA QUESTÃO DA SEGURANÇA. E HOUVERAM CRÍTICAS DE PESSOAS QUE ACHARAM QUE TALVEZ A CASA ESTIVESSE SE APROVEITANDO DA SITUAÇÃO PARA GANHAR EM CIMA DISSO, ANUNCIANDO COISAS QUE NA VERDADE SÃO OBRIGATÓRIAS, BÁSICAS, COMO SE FOSSEM DIFERENCIAIS DE MERCADO. O QUE VOCÊ TEM A DIZER A RESPEITO DISSO?

Crítica nós sempre vamos ter, mas é nossa obrigação informar e tranquilizar o nosso cliente. A gente estava tendo demanda quanto a isso, então nada melhor do que informar várias pessoas ao mesmo tempo né? E separar o “joio do trigo”. Tem as casas que atendem aquilo que é exigido e as que não atendem. Isso não é forma de explorar nem de achar que a gente ta fazendo algo a mais, mas sim de tranqulizar nosso cliente, para ele saber que a gente está em conformidade com o que exige a legislação.

QUAIS SÃO AS VANTAGENS DO CHALEZINHO EM RELAÇÃO ÀS OUTRAS CASAS NOTURNAS DE BH?

Em relação às outras, eu não sei. Nós somos uma casa que tem uma área bastante ampla, bastante arejada, com um projeto paisagístico muito bem desenvolvido. Que tem diversos ambientes, tem uma programação diversificada, um público seleto. Recebemos atrações que são bastante reconhecidas até nacionalmente, por vezes internacionalmente também. E acho que a gente tem um carinho muito especial com o cliente, isso é um grande diferencial nosso.

PORQUE VOCÊ ACHA QUE BELO HORIZONTE NÃO TEM TANTAS CASAS NOTURNAS DE BOA QUALIDADE COMO EXISTEM EM OUTRAS GRANDES CAPITAIS, COMO RIO DE JANEIRO E SÃO PAULO? VOCÊ ACHA QUE REALMENTE O MINEIRO PREFERE BAR?

Eu não sei se não há casas de boa qualidade e não sei também o que você está chamando de qualidade né?! Acho que Belo Horizonte tem boas casas sim, mas é inegável que o mineiro tem um apreço pelo bar, a cervejinha depois do trabalho é um programa bastante tradicional aqui no estado. Agora, acho que as casas noturnas tem seu espaço. O setor está bem representado sim, por boas casas

TEM ALGUMAS BOAS CASAS, MAS PORQUE EM BELO HORIZONTE ACONTECE MUITO DE UMA CASA ABRIR, TER UM PICO DE FREQUÊNCIA E POUCO TEMPO DEPOIS ACABAR FECHANDO? PORQUE VOCÊ ACHA QUE ISSO ACONTECE?

Acho que por alguns fatores. Primeiro porque algumas pessoas que abrem casas noturnas, que se aventuram no negócio, elas não tem conhecimento prévio do negócio, não tem talvez uma experiência de gestão e acabam por se perder nesse processo. Alguns entraves de legislação também, de impostos, uma carga tributária muito alta né? Uma folha de pagamento muito onerosa com os tributos que a gente tem que recolher, acabam dificultando também o negócio. E por circunstâncias do mercado, claro. Ás vezes é uma casa voltada para um determinado segmento ou para um determinado gênero musical, e esse gênero as pessoas deixam de gostar ou ele deixa de ser moda, a casa muitas vezes é afetada por isso e não consegue resistir. Esses fatores são diversos, as vezes as pessoas perdem até o interesse no negócio. Mudam de ramo… isso já aconteceu com várias casas, o ponto passou a ser mais valioso que o próprio negócio, da própria operação da casa noturna. Então são diversos os fatores, mas o fato é que algumas casas em Belo Horizonte resistem há algum tempo. Acho que o Clube é um exemplo disso, estamos indo agora para o nosso décimo primeiro ano em 2013. Então quando o público aprova, acho que consegue levar por mais tempo.

PARA FINALIZAR, O QUE VEM POR AÍ NO CHALEZINHO ESSE ANO?

Vamos ter bastante festa legal agora por vir. Começamos agora na volta do carnaval trazendo Jorge Benjor na festa de verão do Albano’s, em parceria com a choperia Albano’s. Depois vai começar o calendário de festas Open Bar, a primeira delas agora antes até do carnaval, que é o Carna Chalé. Depois a gente vem com festa de inverno, festa junina, temos o aniversário do clube, o reveillon no final do ano. Todas essas são festas tradicionais do nosso calendário de festas Open Bar. Vamos ter uma programação intensa, principalmente voltada para os ritmos brasileiros durante a copa das confederações que já começa esse ano, que é o grande teste para a Copa do Mundo, que acontece no ano que vem. E algumas atrações grandes também. O público pode esperar que a gente vai anunciar mais para frente.

 

Clube Chalezinho
Av. Prof. Mário Werneck, 530 – Alto Buritis
3 3286 3155
http://www.clubechalezinho.com.br

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

FALE CONOSCO

Envie-nos uma mensagem

Enviando

©2019 Meu Bairro Buritis | Todos os direitos reservados

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?