Comunidade, Geral

Entrevista – Shopping Paragem

Um dos pontos de comércio mais movimentados do bairro é a região das imediações do Shopping Paragem, na Av. Prof. Mário Werneck. O shopping  é um verdadeiro ponto de referência na região. Recentemente vem sendo alvo de muitas críticas dos moradores, feitas através do nosso grupo no Facebook. Por isso resolvemos entrar em contato com a administração para fazermos uma entrevista. Conversamos com Weverton Luiz Jorge, responsável pela administração do Paragem.

 

MEU BAIRRO BURITIS: Conte-nos um pouquinho sobre a história do Shopping Paragem e sua atuação hoje.
WEVERTON LUIZ JORGE: O Shopping Paragem foi inaugurado em outubro de 2005. Ele foi pensado para atuar no ramo de alimentação e lazer, e assim foi iniciada a sua operação.

No primeiro ano de funcionamento, detectamos a carência do bairro de um comercio de conveniência, ou seja, que oferecesse um mix de produtos e serviços para o dia a dia das famílias ,publico predominante no bairro.

Portanto, a partir de 2006, reduzimos as operações de alimentação ao numero suficiente para atender às necessidades, mantendo as melhores qualidades com um mix de produtos variados que abrangesse a todos os públicos. Completamos então nossas operações com produtos com características de consumo feminino, maioria de nossos consumidores, conforme detectado em pesquisa estatística realizada por agencia especializada.

A partir de 2010, com o aquecimento da economia e o aumento considerável de nossos usuários, projetamos uma expansão de 10 lojas comerciais, sendo a principal delas “as Lojas Americanas” e completando as demais, com operações com a mesma característica das existentes e inauguramos em 2012.

Daí em diante, estamos mantendo crescimento anualmente de publico de 80 mil pessoas mês em 2006 para 240.000 mil em 2017 (media), o que nos sinaliza que o caminho escolhido foi o mais acertado.

MBB: Como você avalia o momento atual do comércio, e mais especificamente dos shoppings no bairro Buritis?
WLJ Estamos atravessando uma crise econômica sem precedentes, produzida principalmente por problemas políticos, que fizeram com que o consumidor diminuísse o apetite de consumo. Acreditamos que ela seja passageira e assim que esteja resolvido o cenário político, o crescimento será vertiginoso, principalmente devido ao potencial do mercado consumidor existente, já demonstrado nos anos de 2008 a 2010.

MBB. O que o Paragem prepara para o futuro? Há perspectivas de mudanças e novidades?
WLJ: Estamos constantemente em contato com lojistas que pretendem expandir os seus negócios para o bairro, o que neste momento vem acontecendo com muita regularidade. O lojista profissional já detectou que o momento é propicio para negociações vantajosas, devido ao grande numero de unidades disponíveis para locação em todos os shopping da cidade e principalmente no Buritis e adjacências, onde habitam predominantemente: pessoas entre 16 e 50 anos, pertencentes às classes “A” e “B”, que tem como costume resolver a vida dentro do próprio bairro.

MBB: Qual você avalia que é o papel e a importância do Paragem no bairro Buritis?
WLJ: Paragem é o único empreendimento no seu segmento (shopping de conveniência) que teve sucesso em Belo Horizonte. Sendo assim, nosso objetivo é continuar atendendo às necessidades imediatas dos moradores do bairro, oferecendo conforto, boas opções de compras e os melhores serviços, enfim, cumprindo a nossa missão: Contribuir para a melhoria das condições de vida dos moradores do Buritis e demais bairros próximos. É bom lembrar, que a região abrange uma população de aproximadamente 220 mil habitantes.

MBB: Recentemente o Paragem começou a fazer a cobrança para utilização dos banheiros. Isso gerou muita polêmica e reclamações entre os moradores do bairro. O que a administração tem a dizer sobre este caso?
WLJ: Durante os 12 anos de existência do empreendimento, temos servido de banheiro do bairro. Por sermos um shopping de pouca área construída, a proximidade dos banheiros com a rua, ponto de ônibus e local de grande circulação, nossas instalações sanitárias eram usadas por todo tipo de gente.

Assim sendo, constantemente estávamos sofrendo depredações de toda espécie, desde pichações diárias, furtos de peças sanitárias (torneiras, tampas de vazos, saboneteiras, papeleiras, etc.) e materiais de consumo, alem do mal uso. As reclamações dos “nossos clientes” eram constantes, com um viés de alta, pois aparentemente devido à crise, aumentou muito a frequência de não clientes, interessados apenas em cometer os pequenos delitos já comentados.

Depois de debater bastante o assunto, viemos desenvolvendo a cobrança do uso dos banheiros nos últimos 12 meses, a exemplo de shoppings do centro da cidade, que apresentam o mesmo problema. Começamos a comunicar oficialmente, através de cartaz informativo, desde janeiro, que a partir de 20 de março, a cobrança seria iniciada. Propositalmente instalamos os equipamentos e fomos prorrogando o inicio da cobrança, exatamente para testar a adaptação. Como começamos a cobrar também o estacionamento nos caixas dos banheiros, fomos surpreendidos com clientes que vendo as catracas, que estavam em teste, se dirigiam ao caixa e se dispunham a pagar o valor cobrado, sendo imediatamente informados da isenção. Ou seja, a conclusão foi de que os “nossos clientes” estavam dispostos a pagar um pequeno valor em troca de um serviço de ótima qualidade.

MBB: Outra reclamação recorrente é em relação ao estacionamento. Especialmente a confusão com relação a entrada e saída entre o shopping e a Trigopane. A administração está atenta a essas reclamações dos usuários?
WLJ: A Trigopane aluga o nosso espaço do estacionamento do sub-solo para uso dos seus clientes, sendo o seu acesso exclusivo pelas entradas da padaria. Na entrada é entregue um cartão vermelho, especifico para clientes Trigopane, que dão direito à isenção do pagamento do estacionamento, mediante algumas regras de valores consumidos na padaria. Estas informações estão presentes tanto na entrada, como no interior da padaria e também nos caixas de saída da Trigopane e do Paragem (1º piso). São duas as reclamações mais constantes:

– os clientes excedem o tempo da gratuidade dada pela Trigopane e não querem pagar o valor excedente.
– os clientes entram no estacionamento do Paragem (1º piso), recebem o cartão verde, para clientes do shopping, fazem compras na padaria e querem usar da gratuidade oferecida exclusivamente para os cliente que fazem uso do sub-solo e recebem o cartão vermelho.

A cada nova ocorrência, temos tentado melhorar as nossas informações nestes espaços, a fim evitar mal entendidos e sempre estaremos abertos a sugestões que venham a melhorar a nossa operação.

MBB: Muito obrigado pela entrevista. Gostaria de deixar algum recado para os leitores do Meu Bairro Buritis?
WLJ: Gostaria de reafirmar que estamos sempre abertos a sugestões construtivas que possam melhorar o nosso desempenho e cumprir com a nossa missão.

 

 

Meu Bairro Buritis

Relative Posts

Deixe um Comentário

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.