Máquina de matar: Kalil visita obras no Anel Rodoviário

Máquina de matar: Kalil visita obras no Anel Rodoviário

O trecho do Anel Rodoviário próximo à entrada do bairro Buritis e ao bairro Betânia já foi palco de muitos acidentes fatais. Há muito a população cobra uma solução definitiva para o problema, que agora está recebendo obras paliativas.

A chamada “descida do Betânia”, um dos trechos mais violentos da via, na altura do KM 541, no sentido Vitória, entre a BR-040 e o trevo do Betânia, está recebendo intervenção tem como objetivo diminuir o risco de acidentes no trecho, com recursos para que veículos de grande porte consigam parar em situações de emergência, como a perda dos freios. A estrutura engloba um trecho de cerca de 400 m e será composta por uma caixa de concreto semelhante a uma piscina, com 100 metros de comprimento e camadas de argila expansiva.

Visitando a obra o prefeito Alexandre Kalil classificou o Anel Rodoviário de “máquina de matar”. Em entrevista o chefe do Executivo municipal considerou que era preciso uma obra mais robusta para que fossem evitados acidentes no trecho. 

“Estamos fazendo um rodoanel novo sem cuidar desse. E está errado isso, tinha que cuidar desse primeiro, tem muito tráfego. Arrumar ele todo. Isso aqui era simples, só passar para o município e eu pedi. Isso tem que ser um setor urbano para a gente fazer como fazemos nas obras maiores. Projeto, investimento e captação de recursos”, disse, considerando que a via estaria “abandonada”. 

“Parece que isso aqui está abandonado. Vai caber às próximas gestões ficar de olho e resolver o problema. Agora é o que dá para fazer, então estamos fazendo e entregando para a cidade e região metropolitana, que é muito importante para ter mais segurança nessa máquina de matar que é o Anel Rodoviário”, finalizou.

Deixe seu comentário
Comentário
Name
Email

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.